A Inteligência Artificial integrada ao ciclo de vida do colaborador

Recrutar e contratar os colaboradores com o perfil correto é uma das funções mais importantes de uma empresa e de seu Departamento de Recursos Humanos (RH). 

Seja por expansão ou rotatividade (turnover), uma abertura “inesperada” de vagas pode levar os gestores de RH a agirem às pressas e cometerem erros. É por isso que mais e mais empresas estão usando a Inteligência Artificial para ajudar a tomar decisões difíceis.

Quando as pessoas tomam decisões sob pressão, geralmente escolhem a opção mais fácil e rápida às custas da melhor opção. Isso não é porque eles querem tomar decisões ruins. É simplesmente que, na pressa de atender a uma necessidade imediata, o mais conveniente seria confiar na consideração estratégica do instinto, em vez da baseada em dados.

Encontrar a primeira pessoa que pode fazer o trabalho e contratá-lo para o cargo tem mais chances de resultar em decepção (para ambas as partes) do que reservar um tempo para encontrar o melhor candidato.

Outro desafio para esses profissionais é a gestão desses talentos. Algoritmos que usam as informações e os dados coletados durante o processo de contratação colaboram para prever ajustes na equipe e as necessidades de aprendizagem/treinamento antes mesmo do primeiro dia de trabalho de um novo funcionário, permitindo que os gestores elaborem planos de integração personalizados para cada nova contratação. 

A combinação do conhecimento dos líderes com o poder da tecnologia, a análise de dados – financeiros e de gestão/negócios – permitem insights muito mais embasados para as tomadas de decisão.  


Recrutamento e seleção

Para os gestores de RH que trabalham na linha de frente (e que enfrentam grandes volumes de candidatos) é difícil ter um impacto significativo na qualidade da contratação, usando a abordagem tradicional de intuição e instinto no processo de seleção de talentos. A complexidade do processo de terceirização geralmente impede que eles se concentrem nas maiores iniciativas estratégicas de aquisição de talentos da organização. 

Além disso, é humanamente impossível que os recrutadores consigam avaliar todos os candidatos, e isso pode ser um grande empecilho para que as empresas encontrem a pessoa certa para cada vaga disponível. Na etapa dos processos seletivos, o uso da tecnologia proporciona maior produtividade ao permitir uma busca mais assertiva, além de maior agilidade na contratação.

A Inteligência Artificial permite a redução das decisões baseadas em conceitos subjetivos. Permite também mais agilidade na gestão de pessoas, na entrega de análises que podem melhorar resultados e a relação entre as pessoas. Com a geração de resultados mais confiáveis, as consequências são tomadas de decisões mais precisas.


Turnover

O capital humano é um dos fatores que mais influenciam os resultados das empresas. A rotatividade, por exemplo, é um fator com impacto direto no resultado final da se for considerado o custo de reposição, tempo em que a vaga fica em aberto, redução nas vendas, custos com treinamentos e desligamento.

No Brasil, segundo dados publicados pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e pela consultoria global de recursos humanos Robert Half, a taxa de turnover chega a 82%. A automatização das primeiras etapas de recrutamento podem gerar ganhos de eficiência em torno de 20% a 30% das atividades diárias da equipe de recrutamento e seleção. Ou seja, mais produtividade, agilidade e redução de custos para as empresas, que podem direcionar seus profissionais para funções mais estratégicas.

Não se trata apenas de aprimorar e agilizar o sistema de contratação, mas também gerar ganhos financeiros capazes de impactar toda a operação de uma empresa, independente de seu porte. É certo que, quanto mais adequado for o perfil do profissional à vaga que ocupa, mais eficaz será o resultado do trabalho que desempenha.

A Inteligência Artificial pode também prevenir o turnover, pois permite que o RH tenha uma ação preventiva, visando reverter a situação negativa ou preparando um novo processo seletivo. A tecnologia é capaz de observar comportamentos dos colaboradores que saíram da empresa, como por exemplo, o absenteísmo – expressão utilizada para designar a falta de assiduidade no trabalho e outros deveres, seja por ausência ou atraso – que são sinais para alertar a equipe quando outros funcionários exibem os mesmos padrões comportamentais.

Contar com a Inteligência Artificial para otimizar o processo de contratação e otimizar a força de trabalho faz sentido para os líderes empresariais e investidores que operam em um mundo tecnologicamente avançado e orientado a resultados. Isso não significa necessariamente que não há espaço para o elemento humano da contratação. Isso significa que os gestores podem adequar seu tempo, recursos e se concentrar no mais adequado: alcançar a visão, a direção e a estratégia da força de trabalho da empresa.


Performance e treinamentos 

A utilização de ferramentas de análises de dados ajuda os empregadores a descobrir o que faz um colaborador prosperar em uma função e a identificar candidatos com base em critérios específicos (até aspectos muito humanos do trabalho, como persuasão e construção de relacionamentos).

O sistema usa dados (históricos e de tendência), juntamente com as melhores práticas e ferramentas internas de aprendizagem e desenvolvimento, para fornecer sugestões para as próximas ações e para resolver os problemas identificados ou previstos. As equipes de RH obtêm informações sobre por que devem dar mais atenção a determinadas áreas e recebem recomendações específicas para agir para melhor atingir as metas de negócios.

A Inteligência Artificial elimina grande parte da análise manual e do planejamento, associado à criação de programas de pessoal, e fornece recomendações com base em dados, em vez da intuição dos gestores. 

Por isso, a tecnologia tem o poder de ajudar as organizações a se tornarem ainda mais centradas nas pessoas – construindo funcionários mais felizes e engajados, reduzindo preconceitos, permitindo programas mais assertivos e possibilitando mais tempo para o RH se concentrar no desenvolvimento das pessoas.


Promoção 

As tecnologias baseadas em dados capacitam a área de Recursos Humanos a obter um maior impacto no desempenho dos negócios e das pessoas. 

A análise de desempenho promovida pela Inteligência Artificial permite a produção de de diversos dados e métricas que são disponibilizadas aos gestores de RH que terão rápido acesso a informações de performance e metas atingidas (ou não) dos colaboradores. Esses indicadores também podem incluir avaliações comportamentais e psicológicas. 

A IA colabora para a definição de sistemas de classificação de cada funcionário e possibilita revisões automatizadas em relação às metas de desempenho definidas, o que facilita para avaliar quem deve ou não ser promovido de cargo, com embasamento em dados e não apenas na opinião humana e subjetiva, carregada de vieses inconscientes. 


Um exemplo de sucesso

Para cada tipo de negócio é necessário desenvolver algoritmos específicos, propriamente, treinar modelos matemáticos que possam aprender com o passado e recomendar com muita segurança futuras ações. Assim sendo, a Rocketmat atua em diversas subáreas de Inteligência Artificial, para prover soluções que garantam o melhores resultados. Em termos práticos, as propostas de valor estão alinhadas nos princípios de productivity/efficiency/savings – produtividade, eficiência e economia em escala, o que garante sustentabilidade dos projetos baseados em IA. 

Selecionada em 2018 dentre várias outras startups que participam rotineiramente dos projetos de uma das maiores cervejarias do mundo, a Rocketmat foi escolhida para ajudar, por meio de seus algoritmos, a identificar os comportamentos e competências necessárias para a atuação em ambientes produtivos automatizados e tecnológicos. Para isso, modelou dois tipos de algoritmos capazes de mapear as características individuais de cada colaborador, a fim de compreender os níveis de soft e hard skills em equipes, áreas de atuação e de todas as unidades cervejarias. 

Foram analisados dados de aproximadamente 40 mil profissionais (todos os dados anonimizados), o que possibilitou a concepção de um algoritmo capaz de predizer os gaps existentes de competência e, por consequência, direcionar para a melhor solução de desenvolvimento de carreira para os colaboradores. 

Esse movimento permitiu também o melhor entendimento quando as etapas de avaliação de desempenho e o aprimoramento do método de gestão da carreira dos funcionários. Um outro algoritmo também foi implementado no processo de recrutamento e seleção, visando analisar o match existente entre o candidatos e as características inerentes exigidas pela empresa, possibilitando, desde a integração dos novos colaboradores, à melhor medida de forma de desenvolvimento das competências mapeadas, atuando nas deficiências e potencializando as qualidades dos profissionais, com foco sempre no desenvolvimento do ser humano. 

Além da melhoria no processo de contratação, trazendo eficiência operacional, ocorreu a ampliação da diversidade no corpo de colaboradores. Com a maior assertividade, o tempo de contratação foi reduzido de 45 para 23 dias. Foram 200 profissionais selecionados usando a ferramenta como recurso, com o perfil tanto de primeiro emprego (em torno de 18 anos de idade) como mais sêniors (média de 47 anos), com mais de 75% de match da companhia.   

A utilização da Inteligência Artificial permite que as empresas padronizem e automatizem seus processos. Especialmente para companhias que contratam em grande escala, a padronização é importante para criar identidade para a marca e para o setor de recrutamento, buscando sempre o melhor perfil e o melhor método de trabalho. 

Comments are closed.