A Inteligência Artificial no RH

a Inteligência Artificial (IA) aplicada ao RH está transformando a dinâmica da gestão e das contratações promovidas pela área.  

Na última década, a vida ficou mais rápida e mais conectada, e muito, muito mais rica em possibilidades. As novas tecnologias, não mudaram apenas a vida das pessoas, bens ou informações. Eles mudaram a maneira como as pessoas sonham com o futuro. Elas criaram novas relações sociais e padrões de vida. O futuro também chegou para uma área tão voltada para as relações interpessoais. Com isso, a Inteligência Artificial (IA) aplicada ao RH está transformando a dinâmica da gestão e das contratações promovidas pela área.  

Essa tecnologia possibilita que as “máquinas” aprendam com a experiência, se ajustem a novos inputs e realizem tarefas semelhantes às humanas. A maioria dos exemplos de IA que são vistos hoje – de computadores que jogam xadrez a carros autônomos – dependem de recursos como o Deep Learning, uma das subáreas de IA. Usando essas ferramentas, os computadores podem ser treinados para realizar tarefas específicas, processando grandes quantidades de dados e reconhecendo padrões neles. 

A Inteligência Artificial (IA) tende a reduzir muito as decisões baseadas em conceitos subjetivos e ampliar a diversidade nas companhias através de um processo que analisa as qualificações e não informações que podem ocasionar um efeito discriminatório como idade, gênero e opção sexual. 

Além de eliminar o chamado viés inconsciente – estereótipos, preconceitos, ou associações feitas em vivências – a produtividade trazida pela IA garante que todo candidato que se aplicou à vaga seja avaliado. É importante ressaltar que a tecnologia permite que todos sejam avaliados seguindo o mesmo padrão – tanto candidatos em processos seletivos quanto colaboradores em avaliações de performance, por exemplo) em contraste com o que acontece quando esse processo é manual e suscetível às deficiências humanas – os avaliadores ficam cansados depois de horas de atividades e podem não conseguir dar a mesma atenção a todas as pessoas que necessitam ser analisadas. 

área

Um estudo realizado pela consultoria FrontierView aponta que o Brasil poderia crescer até duas vezes mais rápido nos próximos dez anos caso adotasse todas as tecnologias de Inteligência Artificial (IA) disponíveis.


A inteligência artificial promovendo a contratação dos melhores candidatos

Se um ser humano demora minutos para fazer uma análise de currículo, a Inteligência Artificial consegue avaliar milhares de candidatos em poucos segundos.

Com a utilização da Inteligência Artificial (IA) é possível detectar, por meio de algoritmos, os candidatos mais qualificados em larga escala ainda na fase pré-admissional e selecionar aqueles com maior potencial de produtividade para as vagas abertas.

O grande diferencial desta solução é conseguir tornar o processo de seleção de pessoas muito mais rápido e eficiente para o negócio das empresas, proporcionando redução de custos e ganho de produtividade.

A Inteligência Artificial tornou-se uma parte relevante no processo, mas, é importante salientar, não substitui um especialista humano para interpretar suas variáveis e para lapidar relacionamentos e resultados em torno dela.

A equipe de Recursos Humanos não será substituída pela máquina, mas terá seu tempo otimizado a partir da tecnologia. Isso implica maior disponibilidade para o acompanhamento do capital humano dentro da companhia.

Na etapa dos processos seletivos, o uso da tecnologia proporciona maior produtividade ao permitir uma busca mais assertiva, além de mais agilidade na contratação.

Em um cenário econômico cada vez mais competitivo, o papel dos Recursos Humanos tem se mostrado cada vez mais multifacetado. Recrutar e selecionar o melhor talento deve estar diretamente conectado a estratégia do negócio para contribuir na redução de prejuízos com turnover e improdutividade operacional.

O capital humano é um dos fatores que mais influenciam os resultados das empresas. A rotatividade, por exemplo, é um fator com impacto direto no resultado final da empresa se for levado em conta o custo de reposição, tempo em que a vaga fica em aberto, redução nas vendas, custos com treinamentos e desligamento. Com a geração de resultados mais confiáveis, as consequências são tomadas de decisões mais precisas.

 

Maior previsibilidade para o planejamento do RH

O RH mais tradicional tende a trabalhar de forma reativa, agindo para solucionar problemas na medida que eles acontecem. Mas, com a Inteligência Artificial, a área pode ser preditiva. Por exemplo: se o sistema detecta padrões que indicam turnover, é possível avisar aos líderes antes que essa perda se concretize. Assim, o RH pode agir para mitigar esse risco. O mesmo pode ser feito para prever acidentes de trabalho ou mesmo para identificar a necessidade de treinamento ou promoção. 

Ou seja, o sistema pode obter conhecimento suficiente para fazer previsões consistentes sobre o que está ao seu redor, permitindo a análise de informações que tem como objetivo encontrar padrões na maneira como as pessoas se comportam. Os algoritmos podem agregar inteligência e rapidez em diferentes etapas, facilitando atividades consideradas críticas e que podem demandar esforço e desgaste dos humanos envolvidos no processo. 

A Inteligência Artificial ajuda a resolver um dos desafios mais importantes que as equipes de RH enfrentam hoje – construir e executar planos de melhoria – ao recomendar ações específicas a serem tomadas para resolver problemas.

O resultado: a Inteligência Artificial é uma excelente ferramenta para ajudar as equipes de RH e gestores a tomar decisões melhores, ajudando-os a sugerir ações mais impactantes. Com o uso da tecnologia, líderes de RH estão mais “bem equipados” para atrair, reter e inspirar pessoas, o que certamente levará a um melhor desempenho dos negócios para a organização.

 

Foco no aumento da diversidade nas empresas

À medida que o uso da Inteligência Artificial se torna mais comum, aumentam as preocupações em relação ao seu potencial impacto negativo, como por exemplo, o aprofundamento de vieses e preconceitos. No entanto, como esse artigo da Harvard Business Review lembra, a IA aprende e segue padrões já existentes nos dados. Se, por exemplo, candidatos forem beneficiados por qualquer característica que não diz respeito às suas qualificações, é porque os dados que lhe foram apresentados mostram que os recrutadores agem dessa forma.

Ao invés de ver essa tecnologia como vilã da história, existe uma oportunidade real de utilizá-la para mitigar os vieses que existem na empresa. Ao identificar vieses, a Inteligência Artificial pode ajudar organizações a entenderem quais são os problemas que enfrentam, e portanto como devem agir para resolvê-los. Além disso, uma vez que esses vieses são identificados, é possível alterar os algoritmos para mitigá-los.

Dessa forma, a IA pode ajudar empresas em sua missão de diversidade, que como o estudo da consultoria McKinsey, com mil empresas de 12 países aponta, também é sinônimo de maior lucratividade. Segundo a pesquisa, a probabilidade de uma empresa ter lucro acima da média do mercado é 21% maior em empresas que têm maior diversidade de gênero no corpo executivo. Em empresas com maior diversidade cultural e étnica entre executivos, essa probabilidade aumenta em 35%.

Se bem aplicada, a Inteligência Artificial aplicada ao RH garante que todo candidato seja analisado de forma justa, sem a interferência de dados sensíveis como idade, gênero, etnia ou orientação sexual, que poderiam impactar o processo seletivo. Da mesma forma, uma vez que um funcionário está na companhia, pode ter a certeza de que será avaliado pela sua performance, sem depender apenas da visão subjetiva de seus colegas e superiores.

 

Comments are closed.